Ver como página web

Boletim iCS: Abril/2017

Em março, o Clima e Sociedade recebeu a visita de Surabi Menon e Seth Monteith, do ClimateWorks, para os detalhes finais dos indicadores brasileiros que serão integrados ao Carbon Transparency Initiative (CTI), projeto que se baseia em políticas, tendências de descarbonização e investimentos para criar um Cenário de Desenvolvimento Atual transparente.

Março foi também o mês em que o iCS abriu duas oportunidades de consultoria: uma para o desenvolvimento do plano estratégico e de implementação de Ágora Energia Brasil e outra para assessoria na área de avaliação e aprendizagem. O Instituto definiu o nome do novo Coordenador do Portfólio de Política e Economia Climática, Gustavo Pinheiro.

Confira essas e outras notícias abaixo.

DESTAQUES

POR DENTRO DO ICS
iCS e donatários participam de workshop de avaliação de impacto, concebido por CIFF   |   iCS, com apoio da CIFF, contratará consultor para assessoria na área de avaliação e aprendizagem

ENERGIA ELÉTRICA
Workshop organizado pela EPE, com apoio do iCS, debate financiamento para eficiência energética   |   BNDES aprova condições especiais de financiamento para projetos de geração de energia elétrica renovável na região amazônica   |   Com o objetivo de desenvolver o plano estratégico para a criação de Agora Energia Brasil, iCS contrata consultoria

POLÍTICA E ECONOMIA CLIMÁTICA
Surabi Menon e Seth Monteith, do ClimateWorks, visitam o iCS para acertar detalhes da integração do Brasil ao Carbon Transparency Initiative   |   Ana Toni reforça, em artigo na Época, comprometimento mundial no combate às mudanças climáticas, mesmo com posição retrógrada de Trump   |   Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas conduz primeira rodada de reuniões para país atingir objetivos assumidos no Acordo de Paris   |   Carlos Rittl, secretário-executivo do Observatório do Clima, envia carta aberta a Michel Temer na Folha de S. Paulo   |   Novo Coordenador do Portfólio de Política e Economia Climática do iCS é selecionado: Gustavo Pinheiro

MOBILIDADE URBANA
Integrantes da Rede de Mobilidade, dentre os quais alguns donatários do iCS, acompanham divulgação do Plano de Metas da prefeitura de São Paulo   |   Sociedade Civil entrega documento com metas relativas à política de Mobilidade Urbana ao prefeito João Dória   |   Workshop na COPPE, em parceria com Fórum de Mudanças Climáticas e iCS, discute tecnologias disruptivas de baixo carbono

ACONTECE NO BRASIL
Observatório do Clima, donatário do iCS, completa 15 anos

DOAÇÕES APROVADAS EM MARÇO
Instituto Escolhas – R$ 1.575.000,00  |  Centro Brasil no Clima – R$ 900.000,00

POR DENTRO DO iCS

iCS e donatários participam de workshop de avaliação de impacto , concebido por CIFF
O workshop “ Designing, Managing & Undertaking Impact Evaluations for Climate Change Interventions ” aconteceu de 7 a 9 de março, no Rio de Janeiro, graças à CIFF (uma das instituições apoiadoras do iCS). O principal objetivo foi expandir o uso de técnicas de avaliação de impacto em projetos desenvolvidos por organizações sem fins lucrativos no Brasil, com foco nas mudanças do clima. O encontro foi ministrado pelos instrutores do 3iE (International Initiative for Impact Evaluation) e contou com o apoio logístico do iCS. Houve 34 participantes, a maioria membros de entidades donatárias do iCS, que em geral avaliaram bem esta oportunidade de capacitação.

iCS, com apoio da CIFF, contratará consultor para assessoria na área de avaliação e aprendizagem
O iCS vai contratar um consultor, com apoio da CIFF, para aprimorar e desenvolver seus sistemas e procedimentos de monitoramento e avaliação. Dentre as atribuições da oportunidade, está também o fortalecimento das capacidades institucional e de equipe na área. Todas as informações sobre a vaga, que poderá ser preenchida por uma pessoa física ou jurídica, estão disponíveis no site do CIFF. A expectativa é de que a contratação da consultoria dure 18 a 24 meses, dependendo das necessidades.

ENERGIA ELÉTRICA

Workshop organizado pela EPE, com apoio do iCS, debate financiamento para eficiência energética
No dia 31 de março, o iCS organizou com a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) um workshop com membros dos setores financeiro (como BNDES, Itaú, Santander e Febraban); governamental (incluindo MMA, MME, ANEEL, Eletrobras, Procel e Finep); instituições do terceiro setor (como IEMA e INEE); cooperação bilateral (GIZ); conselho empresarial (CEBDS), além de várias outras organizações. O objetivo do encontro, que recebeu 37 participantes, foi discutir mecanismos de financiamento para eficiência energética, com vistas a colaborar para o Plano Decenal de Eficiência Energética.

BNDES aprova condições especiais de financiamento para projetos de geração de energia elétrica renovável na região amazônica
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou no último dia 14 as condições especiais de financiamento voltadas à geração renovável de energia elétrica em áreas isoladas da região amazônica. A iniciativa, parceria com a Amazonas Energia, prevê que os itens financiáveis de cada projeto (a serem licitados no dia 11 de maio em leilão da Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL) podem usar 15% de recursos do Fundo Nacional de Mudanças do Clima, com taxa anual de 1%. Com a medida, espera-se reduzir as emissões de carbono da região – apenas as 225 usinas a diesel que o estado do Amazonas possui, por exemplo, emitem dois milhões de toneladas de dióxido de carbono por ano.

Com o objetivo de desenvolver o plano estratégico para a criação de Agora Energia Brasil, iCS contrata consultoria
Inspirado e em parceria com a Agora Energiewende, da Alemanha, e o GIZ, o Instituto Clima e Sociedade abriu Termo de Referência para contratação de consultoria visando o desenvolvimento de planos estratégico e de implementação para a criação de Ágora Energia Brasil. A proposta é de que a nova organização atue como um think tank e um fórum de diálogo para questões-chave em política energética, com o objetivo de criar oportunidades cientificamente balizadas e factíveis do ponto de vista social e político rumo a produção energética de zero carbono no Brasil. O link com a descrição da vaga pode ser visto aqui.

POLÍTICA E ECONOMIA CLIMÁTICA

Surabi Menon e Seth Monteith, do ClimateWorks, visitam o iCS para acertar detalhes da integração do Brasil ao Carbon Transparency Initiative
Surabi Menon, Senior Director, Advisory & Research, e Seth Monteith, Program Manager do Carbon Transparency Initative (CTI), ambos do ClimateWorks, financiador do iCS, estiveram na sede do Clima e Sociedade entre os dias 22 e 24 de março. O principal objetivo da visita foi acertar o mapeamento da capacidade nacional de construção de cenários de emissões de gases de efeito estufa e integrar os indicadores brasileiros ao CTI, projeto que se baseia em políticas, tendências de descarbonização e investimentos relacionados à energia em oito setores (dentre os quais transporte e eletricidade) para criar um Cenário de Desenvolvimento Atual transparente.

Deste modo, ao monitorar alterações todos os anos, o CTI facilita a identificação de progressos, ou não, em relação às metas nacionais de redução de emissões. O CTI já desenvolveu modelos semelhantes para Estados Unidos, China, Índia, México e União Europeia. O iCS convidou oito grupos diferentes, dentre os quais donatários da COPPE/UFRJ, Observatório do Clima e Instituto Escolhas, para apresentações e alinhamento do tema.

Ana Toni reforça, em artigo na Época, comprometimento mundial no combate às mudanças climáticas, mesmo com posição retrógrada de Trump
Em artigo publicado na Época, Ana Toni, diretora do Clima e Sociedade, discorre sobre a irresponsabilidade cometida por Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, ao desmontar a arquitetura orquestrada pelo seu antecessor Barack Obama para o enfrentamento das mudanças climáticas. As consequências dessa decisão, e também da potencial retirada dos EUA do Acordo de Paris, trarão sérios estragos ambientais, econômicos e sociais. No entanto, Ana reforça que, apesar de postura tão retrógrada, o sucesso do Acordo será garantido pelas demais nações, comprometidas com investimentos para a descarbonização de suas economias. Um novo mercado de fontes renováveis, tecnologias e compartilhamento já é forte o suficiente para seguir em frente mesmo sem os EUA, e, depois, na era pós-Trump, recuperar o tempo perdido.

Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas conduz primeira rodada de reuniões para país atingir objetivos assumidos no Acordo de Paris
O Brasil começou o movimento para atingir as metas estabelecidas no Acordo de Paris. No dia 14 de março, o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, inaugurou os diálogos com os setores da sociedade - o objetivo é integrá-los para definição de metas e medidas de cortes de emissões. Conduzida pelo Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas (FBMC), essa primeira rodada reuniu os setores com melhores resultados no combate às alterações no clima: florestas, biodiversidade, agricultura e pecuária. Espera-se que as propostas sejam consolidadas até outubro para que sua discussão aconteça durante a elaboração da Estratégia Nacional de Implementação e Financiamento para a Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC) do país.

Carlos Rittl, secretário-executivo do Observatório do Clima, envia carta aberta a Michel Temer na Folha de S. Paulo
Em 16 de março, quando foi celebrado o Dia Nacional de Conscientização sobre as Mudanças Climáticas, Carlos Rittl, secretário-executivo do Observatório do Clima, rede de ONGs donatária do iCS, escreveu carta aberta ao presidente da República, Michel Temer, na Folha de S. Paulo. Rittl enumera as oportunidades que o Brasil está perdendo de assumir papel de destaque na vanguarda ambiental do planeta, além de se distanciar cada vez mais da meta de redução de 80% do desmatamento até 2020 – já que a devastação da floresta Amazônica cresceu 60% nos últimos dois anos. Confira o texto na íntegra.

Novo Coordenador do Portfólio de Política e Economia Climática do iCS é selecionado: Gustavo Pinheiro
Após processo seletivo que durou cerca de dois meses, o Clima e Sociedade escolheu o seu novo Coordenador do Portfólio de Política e Economia Climática. Gustavo Tosello Pinheiro foi cofundador, em 2015, da Bratus Natural Capital, investindo em startups geradoras de impacto social e ambiental. De 2012 a 2015, Gustavo foi Diretor de Relações Governamentais da The Nature Conservancy (TNC) em Brasília, trabalhando para melhorar a legislação ambiental relacionada à gestão de infraestrutura, agricultura e áreas protegidas. Também foi responsável pela captação de recursos públicos da TNC entre 2010 e 2012, como Coordenador de Instituições Financeiras Internacionais. De 2005 a 2010, Gustavo foi responsável pelo apoio do Instituto Socioambiental (ISA) aos povos e organizações indígenas no desenvolvimento sustentável e iniciativas de políticas públicas na Amazônia brasileira. Ele também gerenciou as operações do canal digital corporativo do ABN-AMRO Bank de 2002 a 2005, após concluir o programa de trainees corporativos para o qual foi selecionado em 2001. Gustavo também fez consultorias para o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), para o Ministério da Cultura e para a Secretaria de Transportes de São Paulo. Ele é graduado em Administração Pública pela Fundação Getúlio Vargas e especialista em Ferramentas de Conservação Econômica em um programa conjunto oferecido pela Universidade de Brasília (UNB), pelo Fundo de Estratégia de Conservação (CSF), pelo Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB) e Mudança Social da Harvard Kennedy School.

MOBILIDADE URBANA

Integrantes da Rede de Mobilidade, dentre os quais alguns donatários do iCS, acompanham divulgação do Plano de Metas da prefeitura de São Paulo
João Dória, prefeito de São Paulo, entregou o Plano de Metas da cidade para os próximos quatro anos aos vereadores. Uma delas é, por exemplo, aumentar em 7% o uso de transportes públicos até 2020. Integrantes da Rede de Mobilidade estiveram presentes no lançamento do dia 30/03, e Gabriela Vuolo, do Cidades dos Sonhos (donatário do iCS), falou sobre o tema em entrevista à Rede Globo. Segundo ela, o Plano de Metas é um importante documento contra potenciais promessas vazias dos governantes, a partir do qual a população pode acompanhar o que está sendo feito, e em qual velocidade.

Sociedade Civil entrega documento com metas relativas à política de Mobilidade Urbana ao prefeito João Dória
Seis dias antes do anúncio oficial do Plano de Metas em São Paulo, a Ciclocidade, Cidadeapé, Greenpeace, IDEC (todos donatários do iCS) e Sampapé entregaram um documento com propostas de metas de questões fundamentais relativas à política de Mobilidade Urbana. A publicação é dividida em sete eixos de atuação: estruturação e qualificação da rede de mobilidade a pé; transporte público coletivo; expansão e qualificação da rede cicloviária; redução de mortes no trânsito; emissões do setor de transportes; participação e controle social e ampliação com participação popular do programa Ruas Abertas.

Workshop na COPPE, em parceria com Fórum de Mudanças Climáticas e iCS, discute tecnologias disruptivas de baixo carbono
A COPPE/UFRJ organizou no dia 15 de março, em parceria com o iCS e o Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas, o Workshop “Roadmap Tecnologias Disruptivas para Veículos Autônomos e Realidade Virtual em Ambiente de Trabalho”. Na ocasião, foi realizada uma avaliação de novas tecnologias de baixo carbono nas áreas de indústria, transporte e energia com potencial para gerar ruptura nos cenários tendenciais de emissão de carbono no Brasil.

ACONTECE NO BRASIL

Observatório do Clima, donatário do iCS, completa 15 anos
O Observatório do Clima, maior rede da sociedade civil dedicada a debater e estudar as questões climáticas no Brasil, completou 15 anos de vida no último dia 23. O donatário do Clima e Sociedade conta com 42 instituições integrantes e é responsável pelo Sistema de Estimativas de Emissões de Gases de Efeito Estufa, o SEEG – primeira iniciativa não governamental do mundo a calcular anualmente as emissões de carbono equivalente em todos os setores da economia.

DOAÇÕES APROVADAS EM MARÇO

Instituição Donatária: Instituto Escolhas
Valor Doado: R$ 1.575.000,00
Duração da doação: 18 meses
Portfólios: Energia Elétrica | Mobilidade Urbana | Política e Economia Climática

Propósito da Doação: Criar a expertise necessária para o país fazer sua transição para uma economia de baixo carbono, permitindo a produção dos dados e informações relevantes para influenciar a internalização do Acordo de Paris e o debate em torno dos caminhos possíveis para a operacionalização da NDC (Contribuição Nacionalmente Determinada) brasileira. Pretende-se, também, consolidar o Instituto Escolhas como think tank de referência no debate sobre a transição brasileira para uma economia de baixo carbono, apoiando nos seguintes temas: a competitividade da economia brasileira em um cenário crescente de adoção de políticas de redução de emissões; o custo para a sociedade brasileira de alcançar a meta de redução de 10% do consumo nacional de energia elétrica até 2030; a opinião pública sobre a indústria do petróleo, a produção e o consumo do petróleo e sobre as soluções de transporte limpo.


Instituição Donatária: Centro Brasil no Clima
Valor Doado: R$ 900.000,00
Duração da doação: 12 meses
Portfólio: Política e Economia Climática

Propósito da Doação: Contribuir para implantar a NDC (Contribuição Nacionalmente Determinada) brasileira, e detalhá-la para ação em um processo plural e participativo por meio das Câmaras Temáticas do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas nos seguintes setores: Florestas e Agropecuária; Energia; Mobilidade e Transportes; Indústrias; e Cidades e Resíduos. Realizar encontros estratégicos com as lideranças climáticas. Iniciar preparativos para o primeiro ciclo de revisão da NDC brasileira, já para 2020, e também para uma visão de longo prazo de drástica descarbonização.


Este é um boletim mensal enviado pelo Instituto Clima e Sociedade – iCS .
Por favor, envie suas sugestões ou comentários para luiza@climaesociedade.org .
Caso não deseje receber novamente este boletim, escreva para ics@climaesociedade.org .