Ver como página web

SIGA NOSSA REDE    
Boletim iCS: Janeiro/2018
Perspectiva 2018
Na virada do ano, é comum fazermos resoluções para o período que se inicia. No iCS não é diferente. Por isso, pedimos que a diretora-executiva, Ana Toni, e os coordenadores de portfólio, Gustavo Pinheiro, Roberto Kishinami e Walter Figueiredo de Simoni contassem os planos para 2018. Feliz Ano Novo!!
Ler Mais +
Retrospectiva 2017
2017 foi um ano de muitas conquistas, aprendizados e trabalho no iCS. Muito trabalho. Confira abaixo, em números, os highlights de nossa atuação; e, no site do iCS, acesse o ebook com os destaques de janeiro a dezembro.
Ler Mais +
Por dentro do iCS
Conselho do iCS se reúne em sua sede para definir diretrizes de 2018 Estrutura da organização e estratégias para ano importante no Brasil, de eleições presidenciais, também foram tema de debate
Ler Mais +
Economia e Política Climática
Estratégia de Desenvolvimento de Baixo Carbono para o Longo Prazo, do CEBDS, tem lançamento oficial Estudo avalia cinco principais caminhos para que o Brasil concretize a transição para uma economia de baixo carbono
Ler Mais +
COP23 é tema de debate no Canal Saúde, da Fiocruz, com Gustavo Pinheiro O apresentador Renato Farias conversou sobre as diferentes estratégias de países para a redução das emissões de gases de efeito estufa
Ler Mais +
Último Cidades e Soluções de 2017 repercute o Encontro Internacional sobre o Clima Gustavo Pinheiro foi um dos entrevistados do episódio que, entre outros temas, debateu a decisão do Banco Mundial de interromper os financiamentos para a exploração de petróleo e gás
Ler Mais +
Energia Elétrica
Donatários do portfólio de Energia Elétrica se reúnem para discutir pautas de 2018 Principal novidade será a nova atuação do iCS no setor de óleo e gás, com foco principalmente para o pré-sal
Ler Mais +
iCS e IDEC participam de audiência pública sobre eficiência energética de ar condicionados A meta é retirar do mercado aparelhos que consomem muita eletricidade
Ler Mais +
Retrospectiva do trabalho do iCS com ar-condicionado Projeto Kigali vai continuar atuando em 2018 com projetos, pesquisas e parcerias para alcançar metas de corte de emissões
Ler Mais +
Mobilidade Urbana
Pesquisa encomendada pelo iCS e Instituto Escolhas aponta que brasileiros querem a redução do uso de combustíveis fósseis 88% dos entrevistados enxergam as empresas petrolíferas como gananciosas e 60% acreditam que o país tem condições de substituir os combustíveis fósseis por eletricidade, biocombustível e gás natural
Ler Mais +
Encontro Internacional sobre Descarbonização do Transporte é realizado em Brasília
Com a presença de especialistas nacionais e internacionais, evento debate a importância da redução de emissões de carbono na mobilidade urbana e no transporte de cargas
Ler Mais +
Projeto de Lei que prevê a transição energética das frotas de ônibus em São Paulo é aprovado pela Câmara Municipal
Em 20 anos, a transição para combustíveis limpos precisa estar completa, sendo 50% até 2028
Ler Mais +
Acontece no Brasil
Investimento social por instituições privadas reduziu em 2016 De acordo com o Censo GIFE 2016, valor destinado a doações também caiu, chegando a apenas 21% do total geral
Ler Mais +
MP 796, conhecida como MP do Trilhão, só depende de sanção de Temer para virar lei Estima-se que os benefícios fiscais para as empresas de petróleo podem chegar a R$ 1 trilhão de reais
Ler Mais +
Doações Aprovadas em Dezembro
CDP - Carbon Disclosure Project Latin America | R$ 340.000 Envolver a liderança do nível C no setor privado e governos em uma coalizão para a adoção de preços de carbono como uma ferramenta para adaptar estratégias de negócios...
Ler Mais +
IESP - Instituto de Estudos Sociais e Politicos | R$ 268.000
Reduzir a assimetria de informações em relação a ações eleitorais de funcionários do congresso sobre questões relacionadas às mudanças climáticas.
Ler Mais +
IIS -Instituto Internacional para Sustentabilidade | R$ 160.000
Identificar as principais vulnerabilidades da infraestrutura brasileira no contexto de um clima em mudança e impactos climáticos extremos.
Ler Mais +
CAPTAMOS - ABCR Associação Brasileira de Captadores de Recursos | R$ 150.000
Reforçar a legitimidade do Captamos como um centro de conhecimento sobre a angariação de fundos, criando um fórum de aprendizagem on-line da comunidade de captação de fundos.
Ler Mais +
Le Monde Diplomatique | R$ 25.000
Promover o debate público sobre alternativas ao atual modelo de desenvolvimento para enfrentar os desafios das mudanças climáticas através de três artigos.
Ler Mais +
Rede de Fundos | R$ 48.000
O objetivo desta proposta é desenvolver um processo de planejamento operacional da Rede de Filantropia de Justiça Social (SJPN - Rede Brasileira) para o período 2018-2019...
Ler Mais +
350.ORG | R$ 250.000
Mobilizar os municípios brasileiros e as autoridades dos Estados contra a exploração dos combustíveis fósseis, estabelecer barreiras ou medidas de proibição apropriadas.
Ler Mais +
LAPPUS – Laboratório de Políticas Públicas e Sociais | R$ 30.000
Mobilizar e informar organizações da sociedade civil, governo e mídia do estado do Rio Grande do Sul sobre os impactos das atividades de mineração de carvão sobre o meio ambiente.
Ler Mais +
Corrida Amiga | R$ 7.000
Organizar uma exposição intitulada "Andar também é transporte" para promover a caminhada, mostrando uma visão artística de São Paulo e seus pedestres.
Ler Mais +
WRI – World Resource Institute | R$ 342.000
Aumentar os esforços para implementar infraestrutura completa de ruas em todo o Brasil. O projeto fortalecerá a Rede Nacional de Mobilidade de Baixo Carbono.
Ler Mais +
Perspectivas para 2018
Ana Toni
Diretor Executiva

Apesar de que as mudanças climáticas certamente não serão um grande tema de debate nas eleições de 2018, as eleições serão fundamentais para entendermos o que o Brasil fará no futuro em relação ao tema. Nesse sentido, o iCS vai se aprofundar esse ano ainda mais em seus temas de trabalho (política, economia, transporte e energia) nas discussões em torno de tudo o que envolverá as eleições para a presidência, governo, senado e câmaras.

Gustavo Pinheiro
Economia e Política Climática

Em 2018 o Instituto Clima e Sociedade (iCS) lança o portfólio de economia de baixo carbono, objetivando ampliar a ambição da Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC) do Brasil, de redução de 37% das emissões de gases de efeito estufa brasileiras até 2025 comparativamente ao nível de 2005. O novo portfólio tem como objetivo de longo prazo o desacoplamento do desenvolvimento econômico brasileiro das emissões. O portfólio de economia de baixo carbono contribuirá para o florescimento de setores de baixo carbono na economia brasileira através de três iniciativas:

(i) Gerar evidências para tomada de decisão rumo à economia de baixo carbono; (ii) Redirecionar investimentos e subsídios para a economia de baixo carbono; (iii) Ampliar a oferta de bons projetos da economia de baixo carbono.

No curto prazo, espera-se que ao final de 2018 o portfólio tenha contribuído com o desenvolvimento de metodologia para avaliação da intensidade de carbono do produto interno bruto brasileiro, o lançamento de uma campanha nacional pelo desinvestimento de combustíveis fósseis e o engajamento de empreendedores e do setor de inovação na criação de novos modelos de negócio que ampliem o potencial de crescimento econômico brasileiro em conformidade com a descarbonização da economia global e o limite de aquecimento de 1.5o C até o fim do século XXI.

Roberto Kishinami
Energia Elétrica

Para 2018, um ano de eleições federais e estaduais, a expectativa é de colocar em debate uma proposta de pelo menos um estado brasileiro com eletricidade totalmente renovável até 2030. Além disso, queremos garantir compromissos para alcançarmos 20 edifícios autossuficientes com energia renovável, certificados pelo Green Building Council a partir de um protocolo elaborado com apoio do iCS.

Walter Figueiredo de Simoni
Mobilidade Urbana

Temos a visão de deixar de ser um portfólio só de mobilidade urbana e passar a ser um portfólio de transporte, propriamente. Nesse sentido, queremos entrar na temática de transporte de carga e discutir mais sobre combustíveis, ou seja, a contribuição individual da eletrificação e o papel do biocombustível na descarbonização do transporte. Em relação à mobilidade urbana, tenho a expectativa de que os processos de monitoramento que temos apoiado com a Nossa BH em Belo Horizonte e a Casa Fluminense no Rio possam ser expandidos para outras cidades, como São Paulo, Recife e Brasília. Por falar em São Paulo, há um enorme desafio para 2018: garantir a licitação de ônibus e ver sancionada a Lei que garante a transição de combustível no transporte público.

voltar ao topo
Retrospectiva 2017

2017 foi um ano de muitas conquistas, aprendizados e trabalho no iCS. Muito trabalho. Confira abaixo, em números, os highlights de nossa atuação; e, no site do iCS, acesse o ebook com os destaques de janeiro a dezembro.

voltar ao topo
Por dentro do iCS
Conselho do iCS se reúne em sua sede para definir diretrizes de 2018

O conselho do iCS, presidido por Ana Yang, se reuniu na sede do Clima e Sociedade, em Botafogo, Rio de Janeiro, para avaliar 2017 e traçar os metas e planos para 2018, além de definir as prioridades de atuação do Instituto em ano de eleição presidencial. Além de Yang, o conselho da organização é composto por Rodrigo Fiães, Leonardo Lacerda, Carolina Burle Schmidt Dubeux, Carlos Parcias e Lucia Nader.

voltar ao topo
Economia e Política Climática
Estratégia de Desenvolvimento de Baixo Carbono para o Longo Prazo, do CEBDS, tem lançamento oficial

O estudo Estratégia de Desenvolvimento de Baixo Carbono para o Longo Prazo, realizado pelo CEBDS com apoio do iCS, foi lançado no dia 12 de dezembro com debate de alto nível no Museu do Amanhã, Rio de Janeiro, com moderação do jornalista André Trigueiro. O documento trata dos desafios que o Brasil terá pela frente para concretizar a transição para uma economia de baixo carbono, com cinco principais caminhos sugeridos, além de delinear os papéis do setor empresarial e das distintas esferas de governo para contribuir ao máximo com a neutralização das emissões globais de gases do efeito estufa (GEE) até 2050. Confira o documento na íntegra.

Entre os participantes da troca de ideias, Roberto Schaeffer, professor associado do Programa de Planejamento Estratégia da COPPE (UFRJ); Adriano Leite de Barros, head of Public Affairs da Vestas do Brasil; Willian Wills, pesquisador do Centro de Estudo Integrado sobre Meio Ambiente e Mudanças Climáticas da COPPE; e Gustavo Pinheiro, coordenador do Portfólio de Economia e Política Climática do Clima e Sociedade.

COP 23 é tema de debate no Canal Saúde, da Fiocruz, com Gustavo Pinheiro

Gustavo Pinheiro, do iCS, foi um dos convidados do Canal Saúde, da Fiocruz, para o debate sobre a COP 23, que aconteceu em Bonn, na Alemanha. Em pauta, as alianças de alguns países para eliminar o carvão como fonte de energia tradicional e o anúncio do desenvolvimento de biocombustíveis, além do desafio brasileiro para alcançar as metas expostas em sua NDC.

Último Cidades e Soluções de 2017 repercute o Encontro Internacional sobre o Clima

O último episódio de 2017 do Cidades e Soluções, da GloboNews, foi ao ar em dezembro com a repercussão do Encontro Internacional sobre o Clima, organizado pelo presidente francês Emmanuel Macron. A reportagem acompanhou, entre outros anúncios importantes, a decisão do Banco Mundial de interromper os financiamentos para a exploração de petróleo e gás, exatamente o oposto do que está fazendo o governo brasileiro com a MP 796. Gustavo Pinheiro, do iCS, foi um dos entrevistados de André Trigueiro no programa.

voltar ao topo
Energia Elétrica
Donatários do portfólio de Energia Elétrica se reúnem para discutir pautas de 2018

Quatorze entidades donatárias do iCS no portfólio de Energia Elétrica se reuniram em um hotel de Santa Teresa com Roberto Kishinami, coordenador do portfólio, para uma avaliação do trabalho de 2017 e, principalmente, planejar o futuro. A partir de 2018, o Clima e Sociedade começa a expandir sua área de atuação da eletricidade para energia como um todo.

iCS e IDEC participam de audiência pública sobre eficiência energética de ar condicionados

Em 5 de dezembro, Kamyla Borges e Ruy de Góes representaram o iCS em audiência pública sobre o estabelecimento de nova regulamentação específica e novo programa de metas para coeficientes de eficiência energética para condicionador de ar. Esta audiência foi convocada pelo Ministério de Minas e Energia, após uma consulta pública da qual vários donatários do iCS participaram. A perspectiva é positiva: a meta é retirar do mercado de aparelhos de ar condicionado que mais consomem energia elétrica. Espera-se que a portaria a este respeito seja publicada no primeiro semestre de 2018.

Retrospectiva do trabalho do iCS com ar-condicionado

Em agosto, o iCS sediou reunião com equipe da Lawrence Berkeley National Laboratory (LBNL) para discutir detalhes técnicos da pesquisa que o Laboratório realizará com o objetivo de elevar os padrões de eficiência energética de aparelhos de ar condicionado tipo Split vendidos no Brasil. Essa medida visa reduzir o consumo de eletricidade e as emissões de gases de efeito estufa. Em novembro e dezembro, iCS e parceiros da sociedade civil e da academia participaram da consulta pública sobre os novos níveis de eficiência energética a serem estabelecidos pelo governo brasileiro. Na ocasião, iCS manifestou-se pela aprovação da proposta governamental condicionada a prazos de revisão mais reduzidos. O iCS tem um programa exclusivo de ar-condicionado em seu portfólio de Energia Elétrica - o Projeto Kigali - e vai continuar atuando em 2018 com projetos, pesquisas e parcerias para alcançar metas de corte de emissões.

voltar ao topo
Mobilidade Urbana
Pesquisa encomendada pelo iCS e Instituto Escolhas aponta que brasileiros querem a redução do uso de combustíveis fósseis

88% dos brasileiros enxergam as empresas petrolíferas como gananciosas, 60% acreditam que o país têm condições de substituir os combustíveis fósseis, mas apenas 37% creem que esse movimento, de fato, será realizado. Esses são os principais resultados da pesquisa realizada com 3 mil pessoas pelo Ideia Big Data e encomendada pela Instituto Clima e Sociedade e o Escolhas, donatária do iCS. Entre os entrevistados, 45,6% defendem uma grande redução do consumo de gasolina, e a maioria aponta que o consumo de eletricidade, biocombustível e gás natural no transporte público deve crescer.

Em nota à imprensa, Sergio Leitão, diretor executivo do Instituto Escolhas, afirma que “a população entende as consequências negativas do petróleo sobre suas vidas, o que deveria servir para reafirmar a necessidade de o Brasil iniciar imediatamente a transição para uma economia descarbonizada”. Confira na íntegra a matéria da Exame sobre a pesquisa.

Encontro Internacional sobre Descarbonização do Transporte é realizado em Brasília

No dia 6 de dezembro, o iCS organizou, em parceria com a Embaixada Alemã e o IEMA (Instituto de Energia e Meio Ambiente), um de seus donatários, o “Encontro Internacional sobre Descarbonização do Transporte”, em Brasília. Segundo evento da série “Diálogos por um Futuro Sustentável”, o encontro debateu experiências e estratégias brasileiras e estrangeiras no setor de transportes, destacando compromissos das Contribuições Nacionalmente Determinadas (NDCs) e a importância da redução das emissões de carbono na mobilidade urbana e no transporte de cargas.

Em relato exposto na matéria da IstoÉ durante o evento, o secretário de Estado adjunto e do Ambiente de Portugal, José Mendes, defendeu a necessidade de se encontrar alternativas não apenas tecnológicas para a questão. “O aumento da cota de mercado do transporte público é muito lento não só no Brasil, mas no mundo todo. O pior que podemos fazer é tornar o debate puramente tecnológico. Temos que fazer um trabalho de conhecimento e envolver as pessoas.”

Projeto de Lei que prevê a transição energética das frotas de ônibus em São Paulo é aprovado pela Câmara Municipal

A sociedade civil e a população de São Paulo tiveram uma vitória importante em dezembro: o projeto de lei 300/17, que prevê o uso de combustíveis limpos na frota de ônibus da capital paulista, foi aprovado pela Câmara dos Vereadores com algumas concessões, como: metas progressivas para zerar as emissões dos ônibus que circulam na cidade; multas para as empresas que descumprirem as metas; incluir os veículos da prefeitura na transição energética; e acrescentar também as linhas de ônibus intermunicipais no projeto. As empresas de ônibus devem realizar a transição energética de suas frotas, sendo 50% em 10 anos e outros 50% em 20 anos, ou seja, até 2038. Agora, o PL precisa ser sancionado pelo prefeito João Dória para entrar em vigor. O iCS parabeniza, e muito, os esforços de seus donatários que atuaram diretamente na questão, como Cidade dos Sonhos e IDEC.

voltar ao topo
Acontece no Brasil
Investimento social por instituições privadas reduziu em 2016

As instituições privadas que atuam com filantropia reduziram o investimento social nos últimos anos. De acordo com o Censo GIFE 2016, o volume depositado foi de 2 bilhões e 900 milhões em 2016, 19% a menos do que 2014, data da última edição do Censo. As doações, propriamente, também caíram e constituem apenas 21% do total do investimento social – o restante é gasto em programas sociais diretamente criados pelas próprias empresas. Outro ponto relevante é o fato de que, entre as 113 organizações que responderam à pesquisa do GIFE, apenas 16% são exclusivamente doadoras.

MP 795, conhecida como MP do Trilhão, só depende de sanção de Temer para virar lei

O presidente Michel Temer discutiu, no final do ano, os termos da sanção da MP 795, também conhecida como MP do Trilhão. O texto, que anda na contramão dos esforços globais de reduzir o uso de petróleo, já passou pela Câmara e pelo Senado e depende apenas dessa sanção para tornar-se lei. A medida altera as regras de taxação no setor de exploração e produção e desonera investimentos, com isenção fiscal para a importação de equipamentos, por exemplo, principalmente plataformas. Estima-se que os benefícios fiscais para as empresas de petróleo possam chegar a R$ 1 trilhão.

voltar ao topo
Doações Aprovadas em Dezembro
CDP - Carbon Disclosure Project Latin America Valor Doado R$ 340.000 Duração 12 meses Portfólio Economia e Política Climática Propósito da Doação: Promover a responsabilidade pública e a aplicação dos direitos sociais, ambientais e climáticos no Brasil. Isso será feito através da implementação de uma iniciativa de litígio nos tribunais federais e uma ampla iniciativa de comunicação e mobilização para promover o apoio da opinião pública a ações legais.
IESP - Instituto de Estudos Sociais e Politicos Valor Doado R$ 268.000 Duração 12 meses Portfólio Economia e Política Climática Propósito da Doação: Reduzir a assimetria de informações em relação a ações eleitorais de funcionários do congresso sobre questões relacionadas às mudanças climáticas e contribuir para melhorar a responsabilidade do congresso com a sociedade através do desenvolvimento de análise e divulgação por meio de uma plataforma digital acessível aos cidadãos e organizações da sociedade civil na internet.
IIS -Instituto Internacional para Sustentabilidade Valor Doado R$ 160.000 Duração 8 meses Portfólio Economia e Política Climática Propósito da Doação: Identificar as principais vulnerabilidades da infraestrutura brasileira no contexto de um clima em mudança e impactos climáticos extremos.
CAPTAMOS - ABCR Associação Brasileira de Captadores de Recursos Valor Doado R$ 150.000 Duração 12 meses Portfólio Divulgação Propósito da Doação: Reforçar a legitimidade do Captamos como um centro de conhecimento sobre a angariação de fundos, criando um fórum de aprendizagem on-line da comunidade de captação de fundos e coordenando uma iniciativa colaborativa que pode levantar fundos para seus membros.
Le Monde Diplomatique Valor Doado R$ 25.000 Duração 6 meses Portfólio Divulgação Propósito da Doação: Promover o debate público sobre alternativas ao atual modelo de desenvolvimento para enfrentar os desafios das mudanças climáticas através de três artigos a serem publicados na revista "Le Monde Diplomatique Brasil":
1 - Os acordos climáticos internacionais têm efetividade na mitigação das mudanças climáticas nas políticas brasileiras?
2-Brasil, mudanças climáticas e uma avaliação de seus compromissos com o desenvolvimento sustentável.
3- A matriz energética brasileira e o desenvolvimento sustentável.
Rede de Fundos Valor Doado R$ 48.000 Duração 6 meses Portfólio Divulgação Propósito da Doação: O objetivo desta proposta é desenvolver um processo de planejamento operacional da Rede de Filantropia de Justiça Social (SJPN - Rede Brasileira) para o período 2018-2019 e a implementação de ações estratégicas / prioritárias ligadas à implementação do plano semestral (produto de este processo), alinhado com a sua missão.
350.ORG Valor Doado R$ 250.000 Duração 18 meses Portfólio Energia Elétrica Propósito da Doação: Mobilizar os municípios brasileiros e as autoridades dos Estados contra a exploração dos combustíveis fósseis, estabelecer barreiras ou medidas de proibição apropriadas, ao longo da mobilização local das OSC, visando os tomadores de decisão.
LAPPUS – Laboratório de Políticas Públicas e Sociais Valor Doado R$ 30.000 Duração 6 meses Portfólio Energia Elétrica Propósito da Doação: Mobilizar e informar organizações da sociedade civil, governo e mídia do estado do Rio Grande do Sul sobre os impactos das atividades de mineração de carvão sobre o meio ambiente e a saúde pública das comunidades locais. O impacto de uma possível extinção de atividades de mineração também será abordado.
Corrida Amiga Valor Doado R$ 7.000 Duração 6 meses Portfólio Mobilidade Urbana Propósito da Doação: Organizar uma exposição intitulada "Andar também é transporte" para promover a caminhada, mostrando uma visão artística de São Paulo e seus pedestres. O material incluirá temas como mudanças climáticas, transporte público e outros. Acontecerá nas estações de metrô de São Paulo.
WRI – World Resource Institute Valor Doado R$ 342.000 Duração 12 meses Portfólio Mobilidade Urbana Propósito da Doação: Aumentar os esforços para implementar infraestrutura completa de ruas em todo o Brasil. O projeto fortalecerá a Rede Nacional de Mobilidade de Baixo Carbono, hospedada pela Frente do Prefeito Nacional e sua promoção de transporte público e ativo. Esta é a segunda concessão para este projeto e permitirá uma maior disseminação de conceitos e capacitação de jogadores, implementação de projetos, promoção da participação das OSCs e uma análise legal da governança completa das ruas.
SIGA NOSSA REDE    

Este é um boletim mensal enviado pelo Instituto Clima e Sociedade – iCS
Por favor, envie suas sugestões ou comentários para luiza@climaesociedade.org
Caso não deseje receber novamente este boletim, escreva para ics@climaesociedade.org