Ver como página web

BOLETIM iCS
Março 2019
Energia, desenvolvimento sustentável na Amazônia e comunidades tradicionais

“Enfrentar as mudanças climáticas traz pacotes de benefícios à sociedade”, diz André Ferreira

INÉDITO: policy brief do Projeto Kigali destaca propostas de agenda

SAVE THE DATE!

Em breve, um portal que monitora as ações de eficiência energética no Brasil

Precificação de carbono e seu desafio no contexto nacional

SITAWI assume coordenação do Grupo de Trabalho Latino Americano para Ação Climática

ÚLTIMA CHAMADA: MobiliCAMPUS ensina sobre desenvolvimento urbano e mobilidade

MobiliDADOS

Aplicativo para denunciar abusos sexuais em transporte público

Tecnologia dos motores dos ônibus e eficiência energética

Bolsas para jovens negros(as) no Youth Climate Leaders

Mitos & Fatos: Sustentabilidade Ambiental

Seminário Sínodo da Amazônia

Conectas e iCS publicam série de artigos sobre a temática

Evento Internacional sobre Litigância Climática

Empresa, substantivo feminino

#MulheresQueInspiram

“A bicicleta nos emancipa, nos liberta”

Nova parceria de comunicação de causas

#iCSApoia: vamos gerar dados oficiais sobre comunicação para o Terceiro Setor?

CLIMA + SAÚDE

NAVEGANDO POR ROTAS DE DESCARBONIZAÇÃO

DOAÇÃO APROVADA EM FEVEREIRO


ESPECIAL AMAZÔNIA
Energia, desenvolvimento sustentável na Amazônia e comunidades tradicionais

Como incluir as comunidades da Amazônia na rede de energia renovável? Essa é a principal pergunta que se pretende responder durante a Feira ENERGIA & COMUNIDADES, organizada por um comitê que inclui entidades como Instituto Socioambiental, Mott Foundation, WWF, Greenpeace, IEMA e iCS. Entre os dias 25 e 28 de março, o Centro de Convenção do Amazonas, em Manaus, sediará o encontro entre uma clientela crescente e um mercado também em expansão de produtos e serviços voltados para a geração de energia alternativa, solar, eólica e de biomassa de pequena escala em sistemas isolados e remotos.

O tema é urgente e merece esse protagonismo. Na Amazônia, são milhares os povoados e comunidades indígenas, ribeirinhas e tradicionais (muitas vezes em regiões remotas e não atendidas pelo Sistema Interligado Nacional) que desejam substituir a geração de energia a diesel. A intenção é louvável, uma vez que o diesel, além de impactar no orçamento familiar em função do alto custo, também promove grandes emissões de gases de efeito estufa.

Durante três dias, atores do poder público, empresarial e terceiro setor discutirão sobre como novas fontes de financiamento e aumento da renda nessas regiões da Amazônia criam oportunidades para a expansão de energias alternativas e modelos de negócio associados. Mais do que isso, o cenário pode potencializar a autonomia das comunidades e favorecer a qualidade de vida e o desenvolvimento sustentável.

Confira o site e as expectativas dos organizadores para a realização do evento:


VOLTA AO TOPO

ENERGIA
“Enfrentar as mudanças climáticas traz pacotes de benefícios à sociedade”, diz André Ferreira

A TV Cultura realizou um programa especial sobre aquecimento global e seus efeitos nos diferentes setores da sociedade. Para discutir a questão com mais profundidade durante cerca de 30 minutos, foram convidados a professora Sonia Maria Barros de Oliveira, do Instituto de Geociências da USP, e André Ferreira, diretor-presidente do Instituto de Energia e Meio Ambiente (IEMA). Segundo André, é fundamental que a sociedade perceba o conjunto de benefícios derivados do enfrentamento às mudanças climáticas e consequente redução das emissões de gases de efeito estufa em temas relevantes como saúde pública, biodiversidade, abastecimento hídrico, entre outros.

“O caso brasileiro mostra isso. Parar o desmatamento é importante independente das mudanças climáticas. Um dos benefícios é a redução das emissões, porém a floresta tem papel fundamental no ciclo da água e na manutenção da biodiversidade, por exemplo. A proteção florestal se justifica independente das mudanças no clima. O transporte é outra fonte de emissão muito importante, e as soluções que se apresentam trazem muitos benefícios. A queima de petróleo está diretamente associada à poluição atmosférica e a problemas de saúde pública, enquanto priorizar o transporte público garante maior acessibilidade às oportunidades que a cidade oferece”, explica.

Confira o bate-papo na íntegra e veja também soluções já existentes.


VOLTA AO TOPO

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA
INÉDITO: policy brief do Projeto Kigali destaca propostas de agenda

O Projeto Kigali, apoiado pelo iCS, lançou um Policy Brief ilustrado com propostas de agenda para o aumento da eficiência energética dos condicionadores de ar no mercado brasileiro. No documento, são elencados impactos positivos da adoção de níveis mínimos de eficiência energética mais ambiciosos para aparelhos de ar condicionado no Brasil, com vantagens claras ao sistema elétrico, à economia, ao consumidor e ao meio ambiente. O material é didático e interessante! Faça o download aqui!

 

VOLTA AO TOPO

SAVE THE DATE!

No próximo dia 25 de março, o Projeto Kigali realizará conferência internacional sobre o assunto, refletindo sobre os benefícios dessa agenda para o país, como a redução da demanda por investimentos em capacidade instalada adicional, um custo menor para o consumidor e um mercado mais inovador e competitivo. Inscreva-se!


VOLTA AO TOPO

Em breve, um portal que monitora as ações de eficiência energética no Brasil

O dia 18 de junho ainda parece distante, mas já ganha em importância: nesta data será lançado o Portal Brasileiro de Indicadores de Eficiência Energética (PBIEE). Diante da inexistência de uma base de dados organizada e de domínio público que forneça índices e avaliações acerca da eficiência energética no país, a International Energy Initiative (IEI-Brasil) e o iCS estão desenvolvendo uma plataforma para monitorar o desempenho da eficiência, as ações do governo, os programas e o próprio mercado. Entre os apoiadores da iniciativa estão o IEMA, Idec, Eletrobras e o INEE. A primeira etapa do projeto, em andamento, visa coletar dados obtidos via Aneel do Programa de Eficiência Energética (PEE), desenvolvido pelas concessionárias distribuidoras de energia elétrica. O tema é de fundamental importância por seu potencial de múltiplos benefícios, como segurança energética, geração de empregos, melhoria na saúde e no bem-estar e na produtividade industrial, além do combate às mudanças climáticas. Faça sua inscrição e participe!


VOLTA AO TOPO

ECONOMIA DE BAIXO CARBONO
Precificação de carbono e seu desafio no contexto nacional

O que é a precificação de carbono e quais as suas perspectivas científicas, políticas e econômicas? Como adotar um preço interno para o carbono? E os desafios para a sua adoção? Essas foram algumas perguntas do público que foram respondidas durante um webinar de quase 2 horas no último dia 27 de fevereiro organizado pela Climate Ventures e a WayCarbon. Matheus Brito, especialista em precificação de carbono na WayCarbon, também explicou a importância de instrumentos econômicos no âmbito de políticas públicas para resolver a crise climática e como desenhar a precificação considerando as especificidades do Brasil. Ao todo, mais de 300 pessoas acompanharam ao vivo a discussão. Confira a gravação na íntegra.

 

VOLTA AO TOPO

SITAWI assume coordenação do Grupo de Trabalho Latino Americano para Ação Climática

A SITAWI Finanças do Bem foi eleita a nova coordenadora do Grupo de Trabalho de Financiamento Climático do Observatório Latinoamericano para Ação Climática (OLAC). Seu objetivo específico é monitorar os fluxos de financiamento para compromissos assumidos frente ao Acordo de Paris pelos países da América Latina e Caribe, além de prover assistência técnica para acesso e gestão ao financiamento climático. Segundo Fred Seifert, Gerente de Finanças Sustentáveis da SITAWI e que estará à frente do GT, entre as necessidade estão a avaliação dos recursos financeiros disponíveis para que os países cumpram suas NDCs (Contribuições Nacionalmente Determinadas, na sigla em inglês), o quanto ainda falta para executá-las totalmente e como cobrir esse gap financeiro.

VOLTA AO TOPO

TRANSPORTE
ÚLTIMA CHAMADA: MobiliCAMPUS ensina sobre desenvolvimento urbano e mobilidade

Cursos online e gratuitos sobre desenvolvimento urbano, transporte público, mobilidade a pé e mobilidade por bicicleta. Essa é a plataforma MobiliCAMPUS, desenvolvida pelo ITDP Brasil. Listamos cinco motivos pelos quais as pessoas devem, sem perder tempo, se inscrever:


Motivo 1
A mobilidade urbana sustentável é um dos maiores desafios do século, fundamental para tornar as cidades mais inclusivas e ambientalmente equilibradas.


Motivo 2
Os conteúdos foram elaborados por especialistas de quatro áreas diferentes. A partir deles, qualquer pessoa pode contribuir com a implementação de políticas públicas.


Motivo 3
Trata-se de uma plataforma interativa, que incentiva alunos a trocarem informações entre si e com a equipe do ITDP.


Motivo 4
Para além das vídeo-aulas, há infográficos e uma base de dados ampla sobre mobilidade sustentável.


Motivo 5
É tudo gratuito! Tanto a inscrição, quanto a emissão do certificado. Mas elas devem ser feitas até o dia 22 de março, nesse link.

VOLTA AO TOPO

MobiliDADOS

O ITDP Brasil também aproveitou o mês de fevereiro para realizar o primeiro Café com MobiliDADOS, apresentando a plataforma que promove o uso de informações confiáveis nos processos de elaboração, participação, monitoramento e avaliação de políticas de mobilidade e desenvolvimento urbano. Nas últimas semanas, aliás, foi lançado o primeiro boletim informativo da ferramenta, que explica como as mudanças na mobilidade podem contribuir para a redução das emissões de gases de efeito estufa e mitigação das mudanças climáticas.

“O Café com MobiliDADOS foi uma oportunidade excelente para o ITDP colocar em prática o que faz melhor: abrir espaços de reflexão conjunta com atores do setor público sobre a agenda de mobilidade urbana. Nosso objetivo era promover trocas entre diferentes cidades para que juntos consigamos vencer desafios na gestão das cidades com uso de dados. Tivemos 83 participantes de 8 cidades e 4 regiões metropolitanas presentes, além do governo federal. Foi um evento que trouxe inspirações fundamentais, muitas das quais tem potencial de replicação e escala no contexto brasileiro”, afirma Clarisse Linke, diretora executiva do ITDP Brasil.


VOLTA AO TOPO

Aplicativo para denunciar abusos sexuais em transporte público

Algumas horas antes do Dia Internacional da Mulher, a prefeitura de Fortaleza lançou a campanha Respeito Coletivo e a ferramenta virtual Nina, que passa a funcionar dentro do aplicativo Meu Ônibus. Com ela, as mulheres têm acesso a um botão para denunciar rapidamente casos de assédio sexual ocorridos no transporte coletivo. Desenvolvido pela pernambucana Simony César, o recurso chegou à capital cearense por meio do Desafio Inovemob, promovido pela WRI Brasil e Toyota Mobility Foundation. A iniciativa faz parte das primeiras ações do Programa de Combate ao Assédio Sexual no Transporte Público, e merece ser olhada com atenção por outras cidades brasileiras. Faça o download para Android ou para iOS.


VOLTA AO TOPO

Tecnologia dos motores dos ônibus e eficiência energética

Marcel Martin, coordenador do portfólio de Transporte no iCS, falou à revista Autobus sobre o papel do ônibus no transporte público e na mitigação das mudanças climáticas. Segundo ele, um dos aspectos principais na discussão sobre esse tipo de veículo é a necessidade de aprimorar a tecnologia dos motores de acordo com as evoluções da eficiência energética, reduzindo, portanto, as emissões de gases de efeito estufa e de poluentes. Para além disso, é importante que os ônibus tenham espaços viários exclusivos, garantindo a qualidade das viagens, reduzindo o tempo e potenciais externalidades.

Os sistemas de BRT (Bus Rapid Transit) também ganharam espaço na discussão. Para Marcel, eles são importantes por terem uma calha exclusiva, porém necessitam de linhas alimentadoras organizadas. O tipo de combustível utilizado é outro tema pertinente, com olhar específico para biocombustíveis e veículos elétricos. Como conclusão, um dogma que necessita de mais atenção nas rodas do poder público: o transporte público deve sempre ser priorizado sobre os demais modais motorizados. Leia a entrevista completa.

VOLTA AO TOPO

POLÍTICA CLIMÁTICA E ENGAJAMENTO
Bolsas para jovens negros(as) no Youth Climate Leaders

O Youth Climate Leaders (YCL) existe há pouco mais de um ano com o propósito de construir um movimento intergeracional, catalisando ações para combater as mudanças climáticas. Um dos caminhos escolhidos é oferecer aos jovens treinamento, redes e oportunidades concretas para o início de suas carreiras nessa área. Emntre fevereiro e março, foi aberto um processo seletivo de cinco bolsas integrais para o Curso YCL Brasil 19, duas das quais são oferecidas em parceria com o iCS para jovens que se autodeclaram negros (as) de acordo com as categorias do IBGE. O processo será encerrado no dia 20/03 e as informações sobre o curso podem ser acessadas nesse aqui.


VOLTA AO TOPO

Mitos & Fatos: Sustentabilidade Ambiental

Ana Toni, diretora executiva do Instituto Clima e Sociedade, Iago Hairon, coordenador do Engajamundo, e Tasso Azevedo, coordenador técnico do Observatório do Clima, foram os convidados da primeira edição do “Mitos & Fatos: Sustentabilidade Ambiental”, programa da GloboNews apresentado pelo jornalista André Trigueiro. Durante a conversa, a importância de olhar com muito mais rigor para o setor de mineração e licenciamento ambiental no Brasil após mais um caso de desastre de barragens, agora em Brumadinho (MG). Um estudo do Banco Mundial que aponta serem necessários três planetas para suportar o estilo de vida e consumo da população mundial também foi pauta e serviu de base para a pergunta: Mito ou fato?, levada a munícipes de quatro cidades do Brasil: Belém, Salvador, Porto Alegre e São Paulo. Os entrevistados foram unânimes: Isso é fato. Assista ao programa

 


VOLTA AO TOPO

Seminário Sínodo da Amazônia

O “Seminário Sínodo da Amazônia: contribuições a partir do desenvolvimento sustentável” aconteceu em Manaus (AM) entre os dias 7 e 9 de março. O objetivo maior era a contribuição no processo de discussão entre sociedade (ribeirinhos e indígenas, por exemplo) e atores como militares, parlamentares e representantes de instituições científicas, governamentais e não-governamentais. O encontro, organizado pela Arquidiocese de Manaus (integrante da Rede Eclesial Pan-Amazônia – Repam), com apoio da Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e do iCS, entre outros, é uma preparação para o Sínodo da Amazônia, convocado pelo Papa Francisco – com data prevista para outubro no Vaticano. Ele reunirá mais de 250 bispos para vislumbrar novos caminhos para evangelização a partir de diversos temas relacionados à Amazônia, orientados pelos conceitos da Encíclica ‘Laudato Si’.  O cardeal D. Claudio Hummes, arcebispo emérito de São Paulo e presidente da Repam, fez questão de assegurar que o Sínodo não trata de temas relacionados à soberania nacional, respeitada e reconhecida pela Igreja, mas sim da busca pelo bem comum.

Alice Amorim, coordenadora de Política Climática e Engajamento do iCS, assegurou que o evento teve grande êxito ao conseguir colocar em convergência diferentes atores em prol de uma agenda integradora. “O mais importante é a visão compartilhada entre os atores de que a Amazônia precisa ser vista não de forma isolada, mas sim como parte de uma agenda estratégica para o Brasil e para o mundo, e que é preciso valorizar muito as populações tradicionais proporcionando melhorias para elas”, disse.

Crédito: Ricardo Oliveira

Entre os próximos passos, estão: memória do encontro, em um livreto que contenha apresentações e debates, relatórios dos Grupos de Trabalho e temas para aprofundamento; documento síntese, contendo agenda de debates relacionadas ao Sínodo e encaminhamentos para ações da sociedade civil e governos nacionais e subnacionais; e uma série de vídeos. Acompanhe a agenda por aqui!

VOLTA AO TOPO

Conectas e iCS publicam série de artigos sobre a temática

A Conectas Direitos Humanos, em parceria com o JOTA e o Instituto Clima e Sociedade, iniciou a publicação de uma série de artigos que pretende fomentar a disseminação de conteúdo jurídico no campo de Direito e Clima nos próximos meses. Ao longo desse período, especialistas nacionais e internacionais falarão sobre temas relacionados a mudanças climáticas e direitos humanos, regime jurídico internacional sobre mudanças climáticas, financiamento sustentável, litígio estratégico, regulação do comércio de emissões de gases do efeito estufa, entre outros.

O primeiro já está no ar e é assinado por Juana Kwitel, diretora executiva da Conectas, e Alice Amorim, coordenadora do portfólio de Política Climática e Engajamento no iCS. O artigo discorre sobre a interdependência entre a preservação ambiental e a realização de direitos fundamentais quando trata-se dos efeitos das mudanças climáticas. Fenômenos climáticos extremos, por exemplo, são mais intensos e frequentes, atingindo diretamente “a esfera de direitos de toda a coletividade, mas em particular das populações mais vulneráveis, como crianças e adolescentes, povos tradicionais e comunidades de baixa renda”. Veja.

Crédito: Divulgação/Arquivo Prefeitura de Petrópolis

VOLTA AO TOPO

Evento Internacional sobre Litigância Climática

Na última edição do boletim, anunciamos que o próximo evento da série Diálogos Futuro Sustentável seria sobre a “Geopolítica das Energias Renováveis”. Informamos que, por razões internas, foi preciso adiá-lo para o segundo semestre. Entretanto, temos boas notícias: o próximo encontro será sobre “Litigância Climática”, em Brasília e está agendado para o dia 9 de maio. O novo tema de debate abordará sobre instrumentos jurídicos para alavancar a ambição climática e pressionar governos à implementação de políticas nacionais compatíveis com os objetivos compactuados no Acordo de Paris. Aguarde por mais detalhes da programação e inscrições em breve AQUI.

VOLTA AO TOPO

ESPECIAL DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, destacamos algumas iniciativas realizadas no mês de março dedicadas à pauta de igualdade de gênero.


Empresa, substantivo feminino

O Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) promoveu o primeiro debate da série “Quebrando Muros” sobre igualdade de gênero no mundo corporativo. O projeto leva as discussões sobre sustentabilidade social e ambiental por meio de temas transversais a todas as áreas e o primeiro escolhido trouxe a presença de mulheres CEOs no Dia Internacional da Mulher para discutir sobre o aumento da representatividade feminina no mercado de trabalho. O evento teve transmissão ao vivo.

Dentre as participantes, a CEO Nina da Silva, fundadora do Movimento Black Money, abordou sobre a equidade de oportunidades, que só vem com a intencionalidade. A CEO, que está presente na lista Forbes das Mulheres Mais Poderosas de 2019, trouxe dados significativos sobre disparidades étnico-raciais e de gênero em empresas e organizações.

Taxa de desmatamento na Amazônia cresce 36% entre junho e setembro

Crédito: Kelly Lima

VOLTA AO TOPO

#MulheresQueInspiram

Outra iniciativa do CEBDS nas redes sociais foi a divulgação de minibiografias de mulheres inspiradores que ocupam diferentes posições diferentes setores e áreas. Você pode acompanhar a campanha aqui!

O Instituto de Energia e Meio Ambiente (IEMA) também fez uma homenagem nas redes sociais com uma pequena mensagem reflexiva de conscientização sobre o papel das mulheres. Confira a mensagem da arte circulada e compartilhada:


VOLTA AO TOPO

“A bicicleta nos emancipa, nos liberta”

No mês de março, o Bike Anjo lançou campanha de mobilização e realização de diversas atividades com foco no público feminino. O coletivo Bike Anjas é composto por mulheres que se organizaram para promover e estimular o uso da bicicleta nas cidades por meninas, adultas, senhoras e idosas. Segundo uma pesquisa realizada em 2017:


VOLTA AO TOPO

COMUNICAÇÃO
Nova parceria de comunicação de causas

A partir do mês de março, o Instituto Clima e Sociedade oficializa a parceria de publicação periódica de conteúdo no portal do Catraca Livre. A missão da plataforma é usar a comunicação como instrumento de empoderamento dos cidadãos. Isso significa buscar e oferecer o maior número possível de informações que mostrem possibilidades acessíveis e de qualidade nas áreas de cultura, saúde, mobilidade, educação, esporte e consumo. A parceria visa a publicação das realizações dos nossos donatários em um portal de grande audiência. Estreamos nossa participação na última semana com uma sequência intercalada de pequenas matérias em uma contagem para o Dia Nacional da Conscientização sobre Mudanças Climáticas, celebrado no dia 16 de março. Reveja!

VOLTA AO TOPO

#iCSApoia: vamos gerar dados oficiais sobre comunicação para o Terceiro Setor?

Afinal, qual a influência da comunicação e do marketing na geração de impacto social de uma Organização da Sociedade Civil? E qual a relação entre o investimento em comunicação e a captação de recursos? Foi pensando nessas perguntas, e em suas potenciais respostas, que a Agência Nossa Causa lançou a pesquisa O Cenário da Comunicação no Terceiro Setor, com o lema de apresentar às organizações importantes resultados relacionados às barreiras, fortalezas e oportunidades da área. Todas as entidades que fazem parte do Terceiro Setor do Brasil estão convidadas a responder, de forma online, questões como atuação nas redes sociais, investimentos em comunicação, pessoas envolvidas na área, iniciativas mais frequentes, entre outras. Os dados serão compilados, analisados e disponibilizados de forma gratuita em uma futura publicação prevista para junho. O iCS é um dos apoiadores da iniciativa e você pode acessá-la aqui. Prazo: 15 de abril


VOLTA AO TOPO

NOVAS WEBSÉRIES
Calendário 2019

Lutz Morgenstern
“Cada real ou cada euro que investimos nas políticas de mudanças climáticas é o euro ou real investido em nossa saúde também”, diz o primeiro secretário para assuntos ambientais da Embaixada da Alemanha no Brasil.

VOLTA AO TOPO

Calendário 2019

Fernando Alberto Gomes da Costa
Qual a participação brasileira na implementação da estratégia de mitigação das emissões marítimas? O capitão de Mar e Guerra da Marinha do Brasil explica!


VOLTA AO TOPO

 



DOAÇÃO APROVADA EM FEVEREIRO
Climainfo Valor Doado
R$ 59.000,00
Duração
12 meses
Portfólio
Energia

IEI – International Energy Initiative

Propósito da Doação: Prestar apoio técnico ao projeto brasileiro KCEP, desenvolvendo uma diretriz sobre estudos de impacto regulatório para a revisão dos padrões mínimos de desempenho energético (MEPS) de aparelhos de refrigeração, e também apoiando a adaptação do sistema de modelagem de análise de políticas (PAMS, na sigla em inglês) para o contexto brasileiro.

VOLTA AO TOPO

Este boletim é um dos principais produtos jornalísticos do Instituto Clima e Sociedade, enviado mensalmente para atualizá-los sobre as novidades no universo das mudanças climáticas. Quer colaborar com o nosso conteúdo? Acesse o formulário aqui . Caso tenha outras sugestões, dúvidas ou críticas, envie um e-mail para comunicacao@climaesociedade.org